Ludera

Série Engajamento [3]: cases de sucesso de empresas que engajaram suas equipes

Série Engajamento [3]: cases de sucesso de empresas que engajaram suas equipes

Nas últimas semanas, você acompanhou conosco a importância do engajamento no ambiente de trabalho e os principais elementos necessários para favorecer o envolvimento da equipe. Para o texto de hoje, nós trouxemos alguns cases de sucesso de empresas que conseguiram extrair o melhor do potencial de seus colaboradores e mantê-los motivados e engajados. Confira!

Vivemos em um mundo em constante mudança, onde novos desafios exigem continuamente inovações no modo de pensar e agir. Cientes disso, as empresas passaram a perceber a necessidade de mudar o olhar sobre seus colaboradores, compreendendo que cada pessoa é única, dotada de características e necessidades individuais.

As empresas que se destacam em boas estratégias de engajamento reconhecem que essa é uma responsabilidade de todos: do RH, dos líderes e de cada colaborador, que é responsável por seu próprio nível de envolvimento.

Essas corporações também concordam que é necessário cuidar de seus funcionários para que eles possam oferecer um bom atendimento aos clientes. Assim como disse Sam Walton, fundador da Waltmart: “a forma como os gestores tratam os colaboradores é exatamente como os colaboradores vão tratar os clientes”.

O que essas organizações fazem de diferente? Por que funciona? A seguir, veja 7 cases de empresas que obtiveram excelentes resultados com o engajamento de seus colaboradores:

1. GOOGLE – TRANSPARÊNCIA

A empresa Google tem como aspecto principal de sua cultura o foco na transparência. A ideia é quebrar as barreiras, incentivar a criatividade e a colaboração.

Como resultado, essa transparência favorece o empoderamento dos colaboradores. A cultura da Google se resume a hábitos comportamentais que se baseiam em liberdade e criatividade. Considerando que as pessoas que gastam parte de seu tempo fazendo algo diferente de sua função normal, desenvolvem habilidades mais criativas.

As pessoas querem fazer parte de algo que vá além das limitações de agendas, horários e funções pré-determinadas. Nas empresas que prezam por essa transparência, os colaboradores lidam com uma perspectiva honesta, sentem-se valorizados e o engajamento acontece espontaneamente.

2. AMERICAN EXPRESS- FOCO NO COMPORTAMENTO

Em um mundo onde o que importa são os resultados, os objetivos das empresas são limitados aos ganhos obtidos, independentemente de como esses ganhos foram alcançados.

Nos últimos 25 anos, a American Express passou por um período de mudanças, onde passou a avaliar os objetivos alcançados pelas pessoas, e como elas agem para chegar a isso. A empresa concluiu que simplesmente não é possível alcançar melhores resultados, classificações, salários e bônus potenciais sem considerar o impacto do comportamento de seus colaboradores.

O ato de se comportar é resumido à maneira como nós agimos e reagimos aos outros. As empresas de sucesso, onde há mais engajamento com a equipe e com os gestores, compreendem como os comportamentos afetam seus colaboradores a nível emocional.

Essas empresas, portanto, valorizam o modo como os colaboradores fazem seu trabalho. Equipes com alto desempenho e comportamentos inadequados, enviam uma mensagem incongruente.

A alta performance de empresas que possuem equipes engajadas é resultante dos comportamentos de todos os envolvidos, incluindo compreensão, colaboração e respeito.

3. JOHN LEWIS- EMPODERAMENTO

A empresa John Lewis expressa o foco no ser humano. Uma maneira de fazer isso é chamar seus funcionários de parceiros. Não se trata apenas de uma palavra, mas da conexão criada a partir dela, das emoções que ela desperta.

Ao se referir aos funcionários como parceiros, a empresa expressa claramente que existe uma responsabilidade compartilhada em relação aos resultados da organização. Sendo assim, a corporação se concentra em envolver seus parceiros em decisões e soluções, capacitando-os para criar a melhor experiência para o cliente.

Os funcionários que são convidados a participar como parceiros sentem-se capacitados e assumem uma responsabilidade pessoal perante a empresa e o cliente, eles sabem que podem fazer a diferença e se dedicam para dar o seu melhor.

4. HYATT- DESENVOLVIMENTO DOS COLABORADORES

O grupo hoteleiro Hyatt é conhecido pela alta retenção de funcionários (baixa rotatividade/ turnover de pessoal), incentivada pelo foco no desenvolvimento dos colaboradores e nas ações de promoção interna.

Outra prática interessante da Hyatt, além do incentivo ao desenvolvimento, é como eles capacitam seus funcionários (que eles chamam de associados), para ouvir cuidadosamente uns aos outros e aos convidados (hóspedes).

Essa capacitação para a escuta e para o diálogo facilita a resolução de problemas e criação de novas soluções, em vez de seguir scripts do que deve ser feito. Isso faz com que o hóspede se sinta especial e ouvido.

Muitas organizações compartilham esse compromisso com o desenvolvimento dos funcionários e, portanto, são capazes de motivá-los.

Além disso, o desenvolvimento contínuo é crucial para acompanhar a evolução e as mudanças constantes que as organizações enfrentam.

5. VIRGIN- ESCUTA

A Virgin Group trabalha com a postura de escutar seus funcionários, mostrar que eles são valorizados, ouvir suas opiniões e considerar suas ideias, além de incentivar debates saudáveis ​​e apostar na inovação contínua.

Com isso, a empresa continua crescendo, os colaboradores sentem-se importantes e se envolvem com a organização.

Saber ouvir é o ponto principal do engajamento, todas as pessoas querem ser ouvidas. Mas, apesar do imenso valor que essa ação pode trazer, a escuta nem sempre é incentivada nas empresas.

Os colaboradores que são ouvidos sentem-se importantes e valorizados e desejam retribuir, fazendo o seu melhor.

6. LINDT- PROPÓSITO

A Lindt tem traçado uma trajetória impressionante de crescimento nos últimos anos.

Um dos motores para esse crescimento foi a criação do projeto “Diamond”, cujo propósito seria o de “criar algo especial e duradouro que brilharia na empresa” e fazer disso o coração da organização. Os colaboradores se referem ao projeto Diamond como um “programa de mudança de vida”.

Os objetivos do Diamond, desde o início, eram: permitir que a empresa desenvolvesse as habilidades de liderança de seus melhores talentos; trazer orgulho, confiança na empresa e cultura para todos os funcionários; e garantir que a Lindt se tornasse um lugar fantástico para se trabalhar.

A corporação decidiu “travar a hierarquia da liderança”, desafiando os diretores e gerentes a encontrarem soluções para dilemas empresariais, desenvolvendo cada um deles como líderes individuais, não apenas pessoalmente, mas como parte de uma equipe colaborativa.

A partir da criação de uma situação desafiante para seus líderes, a Lindt extraiu ideias originais e relacionamentos construtivos. Os gestores também relataram o aumento da confiança em suas próprias capacidades de liderança.

O diretor de RH da Lindt declarou que os escores de engajamento da empresa atingiram 91%, e os colaboradores afirmam que se trata de um ótimo lugar para trabalhar.

7. GRSA- SINERGIA

Em 2017, a equipe de TI (Tecnologia da Informação) da empresa GRSA contratou a Ludera para desenvolver ações de engajamento por meio de games voltados à qualidade de vida.

O principal propósito da empresa foi o de unir os colaboradores e criar um ambiente de reciprocidade. Nessa trajetória, o diretor do setor percebeu que promover intervenções de mudança na saúde e no bem-estar dos funcionários é altamente benéfico para aumentar o desempenho da equipe, já que as melhorias são refletidas na produtividade e no clima organizacional.

Os resultados foram evidenciados no aumento da participação dos colaboradores nas decisões da equipe e nas tarefas cotidianas. Os funcionários também se aproximaram mais dos líderes, facilitando a comunicação e o engajamento.

O uso da ferramenta de Gamificação da Ludera teve um resultado extraordinário, com adesão de 100% dos colaboradores e 93% de aderência durante o jogo. O game proposto teve o objetivo de avaliar os fatores envolvidos na qualidade de vida dos participantes.

Após a etapa da Gamificação, o ambiente de trabalho foi favorecido com o aumento da comunicação interna entre os colaboradores, e com uma equipe mais coesa e integrada para resolver problemas de rotina em conjunto.

A barreira hierárquica, apesar de invisível, estava presente. Depois das intervenções de engajamento propostas pela Ludera, essa barreira foi flexibilizada, o líder se aproximou mais de seus colaboradores, inclusive para auxiliá-los com mudanças de estilo de vida, contribuindo para melhorias na saúde, na autoestima e na produtividade da equipe.

Esses foram alguns cases de sucesso de empresas que conseguiram engajar suas equipes e conquistaram excelentes resultados, para cada pessoa envolvida e para a corporação como um todo.

O engajamento dos funcionários é o combustível de uma organização, e mesmo que sua cultura organizacional já seja forte, ela ainda pode ser maximizada se o potencial dos colaboradores for devidamente estimulado.

E na sua equipe? Como tem sido?

Nós adoramos conversar com líderes sobre os desafios que têm encontrado no dia a dia, e ajudá-los a encontrar soluções. Você pensa ou já tem uma ação de engajamento em andamento? Quais são os “pepinos” que você tem encontrado? Durante as suas ações, em que momento você sente maior dificuldade? Deixe um comentário aqui abaixo ou clique no “Conversar Conosco”. Fique à vontade!

Deixe uma resposta

Fechar Menu